Letra B
20198 Palavras

Bossa

4 Definições encontradas.
 

Classificação morfossintática:

Substantivo, feminino singular

Flexões da palavra Bossa

Significados de Bossa :

Clique aqui se você CONCORDA com essa definição!  26 sobe, 20 desce Clique aqui se você NÃO CONCORDA com essa definição!

1. Bossa

Por (PR) em 04-03-2008

Do Francês 'bosse'. s. f.,
Protuberância arredondada no crânio que se considera como índice do desenvolvimento particular de determinada faculdade;
Protuberância boleada na superfície de alguns ossos;
Giba, corcunda;
Inchaço resultante de contusão, galo;
Pequena elevação numa superfície;
(bras.) Jeito ou modo diferente de trajar ou de interpretar uma canção.

Bossa nova.



Clique aqui se você CONCORDA com essa definição!  7 sobe, 2 desce Clique aqui se você NÃO CONCORDA com essa definição!

2. Bossa

Por (PA) em 06-01-2010

Giria do norte do Brasil, principalmente no estado do Pará.

1- adj.

Arrumado, enfeitado, incrementado.

2 - int.

Legal, interessante, bacana.

1 - Esse sujeito chegou aqui todo bossa!

2 - Que bossa!


Clique aqui se você CONCORDA com essa definição!  1 sobe, 0 desce Clique aqui se você NÃO CONCORDA com essa definição!

3. Bossa

Por (SP) em 12-06-2012

1 - Calombo; calosidade; inchaço; intumescência.
2 - Corcunda; corcova; geba; giba; gibosidade.
3 - Ginga; requebro; balanço.
4 - Talento; aptidão; inclinação; propensão; queda.
5 - Virtuosidade; maestria; perícia.

O Zé apareceu com uma bossa no ombro.
A bossa daquele camelo é enorme.
A vizinha tem um andar cheio de bossa.
Fulano tem bossa para as artes.
Fulano toca violão com muita bossa.

Clique aqui se você CONCORDA com essa definição!  14 sobe, 13 desce Clique aqui se você NÃO CONCORDA com essa definição!

4. Bossa

Por (SP) em 19-11-2008

A Bossa Nova influenciou a vida em geral nos anos 60 e reaparece com freqüência resgatando modismos e estilos em moda, maquilagens, roupas, móveis e no próprio estilo de vida das pessoas.

Não são apenas a música e a poesia da bossa nova que estão vivas. A moda dos anos 60, de maneira geral, está em alta. A tendência Navy, os clássicos vestidos tubinhos e o corte de cabelo chanel (adotado recentemente por Gwyneth Paltrow) são outras pistas do renascimento do estilo.

A maquiagem atual, segundo o especialista Carlos Carrasco, é outra pista. "O delineador, característico da época, está com tudo há duas coleções. As sombras coloridas também estão aí. Acredito que esse resgate vem da vontade da indústria da moda e da beleza de recuperar o feminino e o romantismo da bossa nova" , diz o especialista. "Hoje, muitas das mulheres pensam demais em botox e pouco nas sutilezas, esquecendo-se de se enfeitar, deixando o glamour de lado", acrescenta.

O resgate estético se repete no design. Basta olhar os elementos das fotos desta reportagem, releituras da virada dos anos 50 para os 60, adaptados para os dias de hoje. A bicicleta, por exemplo, ganhou marchas, pneus e pedais especiais; as caixas de som, iPod; a poltrona (da capa), leveza.

Contudo, as coincidências entre os períodos param nos traços e formas. O respeitado compositor e produtor musical Mario Adnet é enfático quando afirma que, apesar da celebração do estilo, o clima da época é coisa do passado. "Há saudades de uma alegria cultural, a cultura fervilhava naquela época" , diz Adnet, cheio de razão. "Hoje a bossa nova é mais viva do que nunca, mas nem sempre foi assim. João Gilberto, que é uma orquestra em um homem, infelizmente não é compreendido por muita gente. E Tom Jobim se tornou de fato o "maestro soberano" para o País durante a comemoração de seus 60 anos." Os dois nomes citados, mais Vinícius Moraes, formam o tripé da bossa nova, lembra Adnet.

Pois é, o whisky foi turbinado pelo energético; o glamour; substituído pela praticidade; o encontro com os amigos, pelas ferramentas de relacionamento da internet.

De olho no diálogo entre o modo e as modas de ontem e de hoje, o Feminino conversou com Roberta Sá, cantora da nova geração, que gosta de "sambas e bossas", e foi convidada a vestir modelos inspirados na bossa nova, criados pelos estilistas Adriana Barra, Camila Cutolo e Marcelo Sommer; Helô Pinheiro, a "garota de Ipanema"; e a cantora Miúcha, integrante da geração bossanovista.

VOZ CONTEMPORÂNEA

A cantora Roberta Sá, 26 anos, cresceu ouvindo bossa nova, e é fã do estilo. No ano passado recebeu o prêmio de melhor cantora da exigente APCA (Academia Paulista de Críticos de Arte).

Em que medida a bossa nova influencia o seu trabalho?

Roberta Sá: os movimentos da bossa nova e da Tropicália estão presentes em tudo o que veio depois. Por mais que queiramos não nos influenciar, identificamos alguma referência no trabalho final. Vejo isso de maneira positiva. Conheci poesia pelo Vinícius de Moraes e o samba, buscando conhecer os compositores gravados por Nara Leão, João Gilberto e companhia. Ouvi e ouço ainda muita bossa nova.

Do que gosta no estilo?

Roberta Sá: leveza é a palavra certa para definir esse movimento. Era tudo leve, bonito e cool. Veja como a Nara Leão é legal. Talentosa, cheia de opinião e personalidade, dona de uma beleza não óbvia, era uma diva que tocava violão, sussurrava, e era ao mesmo tempo uma anti-diva. O joelho dela era o furor! Isso é muito legal. O detalhe era muito importante. O João Gilberto é elegante, o Tom Jobim era um lorde boêmio.

O que traria do estilo de vida daquela época?

Roberta Sá: o que falta hoje em dia são os encontros, que eram tão freqüentes. Por uma questão de facilidade e oportunidade, hoje fazemos música pela internet, por email, MP3. Naquela época os músicos se encontravam mais para fazer música, às vezes eu e o Pedro (Luís, marido da cantora) comentamos isso com os nossos amigos, com o Yamandu (Costa), com o Hamilton de Holanda. Mas nossa geração tem uma coisa que é muito legal: o contato rápido.

A GAROTA DE IPANEMA

Helô Pinheiro, 65 anos, foi a musa inspiradora de Garota de Ipanema, composição de Tom Jobim e Vinícius de Moraes. Desde seu lançamento, em 1962, até hoje, a música tem sido a melhor tradução da bossa nova para o mundo.

O que a garota de Ipanema vestia na época em que a música foi criada?

Helô Pinheiro: usava a calça saint tropez, de cintura baixa, sempre com uma camisa de manga comprida, abotoada até perto do seio, eu dava um nó na frente. Ou estava de biquíni duas peças com a toalha. O sutiãzinho era de tecido, franzidinho, e a calcinha bem grande, tipo tanga.

Nos tempos em que a bossa nova nasceu, como a patricinha se diferenciava da despojada?

Helô Pinheiro: as mais patricinhas estavam sempre de vestido tubinho certinho, meia-calça, sapato, tudo combinando. E carregavam os olhos de delineador. Já as mais largadas usavam a calça saint tropez, saia largona de hippie e sandália rasteirinha. Eu gostava mais do jeans, era mais despojada, usava muito shortinho, mas também colocava um tubinho moderno.

TESTEMUNHA ATIVA

A cantora Miúcha, 70 anos, vai iniciar no próximo mês uma turnê com o grupo Os Cariocas, em homenagem aos 50 anos da bossa nova. Em breve, lançará um novo disco.

Como se comportavam as meninas nos primórdios da bossa nova?

Miúcha: acho que havia um sonho coletivo de se parecer com Audrey Hepburn. Usava-se tubinho e cabelos com volume, armados com bombril e faixa. Tenho fotos minhas hilárias daquela época. As meninas tinham um ar meio débil mental, de boas moças.

Qual peça ou acessório contemporâneo você transportaria para aquela época?

Miúcha: tênis, uso muito. Sabe que há pouco tempo recebi umas fotos de uma viagem que fiz à Grécia em 1963 e reparei que não existia tênis! E lá estava eu andando como louca de mocassim com saltinho. Moro no Rio e adoro caminhar, sempre prezo o conforto.

Hoje a moda anda de mãos dadas com a música. Quando a bossa nova nasceu era assim?

Miúcha: na época, as costureiras faziam as roupas. A moda era para os mais velhos, o jovem não interferia nela, e com a música também era assim. As moças tinham que estudar piano. A bossa nova deu expressão ao jovem, e junto com ela veio a moda, mais informal. Começou a se usar roupa esporte em festas, a Nara mostrava os joelhos. Além disso, os lugares onde só se entrava de terno e gravata passaram a aceitar uma vestimenta mais casual.

Qual era seu estilista preferido naquela época e qual é hoje?

Na época tinha o Aparício Basílio da Silva, que também era pintor, poeta, escritor. Ele estava bastante imerso na moda e tinha uma loja na Rua Augusta, logo no começo do comércio de roupas por lá. Eu não tinha muito dinheiro na época, mas ele me ajudava muito, criando roupas lindas e diferentes. Hoje eu adoro o Issey Miyake. São dele minhas peças favoritas, conjuntos de jaqueta e calça, quase clássicos, que digo que são "roupas de viajar". Eu adoro o jeito de vestir dos japoneses, eles têm identidade e levam a moda a sério.

Fonte tirada da matéria do site: http://www.estadao.com.br/suplementos/not_sup229697,0.htm

Que tem uma certa bossa...
("Que tal móvel vai dar uma bossa no ambiente.")
("Que determinado ato, gesto ou material tem a influência de uma época.")

Dar uma certa bossa...
("Jeito diferente e estliosamente charmoso de interpretar, elogiar uma determinada época ou fase.")
("Que determinada roupa tem um certo charme, uma história.Que resgata uma determinada época.")

Dar uma bossa!!
("Deixar com estilo.")
("Resgatar uma influência de certa época".)

Outras Informações:

Palavras com 5 letras

A palavra possui 2 vogais - o a
A palavra possui 3 consoantes - b ss
1 página - 4 Definições

Publicidade
Dicionário inFormal® possui definições de gírias e palavras de baixo-calão. Seu conteúdo não é adequado para todas as audiências.
Bossa - Significado, Definição, Sinônimos, Antônimos, Palavras Relacionadas, Exemplos
termos de serviço. Mapa de definições

© 2006-2014 Dicionário inFormal®