Letra C
48128 Palavras

Coma

2 Definições encontradas.
 

Classificação morfossintática:

Verbo, presente do subjuntivo 1a pessoa singular de comer
Verbo, presente do subjuntivo 3a pessoa singular de comer
Verbo, imperativo 3a pessoa singular de comer
Substantivo, masculino singular
Substantivo, feminino singular

Flexões da palavra Coma

Significados de Coma :

Clique aqui se você CONCORDA com essa definição!  20 sobe, 12 desce Clique aqui se você NÃO CONCORDA com essa definição!

1. Coma

Por (Portugal) em 15-12-2009

S.m.
1 - MEDICINA - estado caracterizado por perda total ou parcial da consciência, da motricidade voluntária e da sensibilidade, gerado devido a lesões cerebrais, intoxicações, problemas metabólicos e endócrinos, no qual, dependendo da gravidade, as funções vitais são mantidas em maior ou menos grau ( coma alcoólico, coma hepático, coma diabético;
2 - coma cárus = coma profundo ( também se diz apenas cárus) - caracteriza-se pelo desaparecimento de todas as reações motoras e pelo surgimento de problemas oculares (movimentos assimétricos dos olhos) e vegetativos, especialmente respiratórios, que podem causar a morte por anóxia;
3 - coma virgil - o que se carateriza pela possibilidade de o indivíduo ser despertado, quando submetido a estímulos dolorosos; estádio mais leve do coma;
4 - Estado de inconsciência e de ausência de reações, diferente do sono na medida em que a pessoa não responde a estímulos externos (por exemplo, gritos ou beliscões) ou às suas necessidades internas (por exemplo, bexiga cheia).
5 - CAUSAS
O coma resulta da perturbação ou da lesão de áreas do encéfalo implicadas na actividade consciente ou na manutenção do estado de consciência, em particular, partes do cérebro (a principal massa do encéfalo), partes superiores do tronco cerebral e regiões centrais do encéfalo, especialmente o sistema límbico.
A lesão pode ser resultado de um ferimento na cabeça ou de uma anomalia, como, por exemplo, um tumor ou abcesso no cérebro, ou uma hemorragia intracerebral; todas estas situações são reveladas por técnicas imageológicas aplicadas ao cérebro.
A razão pode também ser a acumulação de substâncias tóxicas que afectam os tecidos cerebrais devido a dose excessiva de medicamento ou droga - overdose -, doença avançada dos rins ou do fígado, intoxicação alcoólica aguda ou diabetes não controlada ou, mais frequentemente, por impedimento do afluxo de sangue a certas áreas cerebrais que levam à hipoxia cerebral (falta de oxigénio). A encefalite e a meningite (respectivamente, inflamação do encéfalo e inflamação das membranas protectoras do encéfalo) também podem provocar coma.
6 - SINTOMAS
Reconhecem-se vários graus de coma. Nas formas menos profundas, a pessoa pode responder aos estímulos pronunciando algumas palavras ou talvez mexendo um braço. Nos casos de coma profundo, a pessoa não responde desta maneira a estímulos repetidos e vigorosos. Porém, até mesmo os pacientes profundamente comatosos podem apresentar algumas respostas automáticas - continuam a respirar sem auxílio, podem tossir, bocejar, pestanejar e exibir movimentos dos olhos, o que revela que a parte inferior do tronco cerebral, reguladora destas respostas, continua em funcionamento.
A medição das variações da profundidade do coma é importante para a avaliação e o tratamento. As variações podem ser registadas por sistemas que classificam o coma segundo o comportamento verbal da pessoa, os movimentos que faz e o estado dos olhos (se estão abertos, fechados ou em movimento).
A pessoa pode manter-se em estado de coma profundo durante anos, com pouca ou nenhuma actividade aparente no cérebro, mas pode ainda estar viva porque o tronco cerebral continua a funcionar. Em contraste, o alastramento da lesão ou da perturbação à parte inferior do tronco cerebral pode impedir as funções vitais do tossir, do engolir e do respirar. A ventilação artificial e a manutenção da circulação podem então tornar-se necessárias. A perda completa e irreversível das funções do tronco cerebral leva à morte.
7 – Coma diabético
Um diabético que aparente estar embriagado pode sofrer de um baixo nível de açúcar no sangue (hipoglicemia) resultante de um excesso de insulina ou carência alimentar. Pode também ocorrer após a prática de um exercício que consuma o açúcar no sangue.
O baixo nível de açúcar no sangue afecta o cérebro e leva ao estado de coma. A morte pode sobrevir em menos de 20 minutos.
Este estado diferencia-se da embriaguez pelo hálito da pessoa, o qual não cheira a álcool.
O baixo nível de açúcar no sangue pode conduzir à rápida deterioração do diabético, com os sintomas seguintes:
• Aparência pálida, com transpiração, pulsação acelerada, respiração superficial e possivelmente tremuras.
• Estado de confusão mental, por vezes semelhante à embriaguez.
• Desfalecimentos que levam à perda de consciência em 15 a 20 minutos.
8 - O que pode fazer
Se ocorrer um colapso diabético rápido, é de supor que o paciente necessita de açúcar. Se ele estiver consciente, dê-lhe três ou quatro colheres de chá de açúcar, uma fatia de bolo ou bolachas, mel, compota, chocolate ou um refrigerante açucarado.
• Se o paciente estiver inconsciente, coloque-o na posição lateral de segurança, e, em seguida, chame uma ambulância.
A situação oposta - excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia) - pode também acabar por conduzir ao coma, mas este advém muito mais lentamente, e o diabético poderá aperceber-se do seu estado e tratar-se tomando insulina. Se não tomar insulina, os sintomas serão:
• Aparência ruborizada com pele seca.
• Respiração profunda, semelhante a suspiros, hálito com cheiro a acetona.
• Eventualmente, perda de consciência.
Se a pessoa perder a consciência, coloque-a na posição lateral de segurança, e chame imediatamente o médico. Se o paciente estiver consciente, diga-lhe para tomar insulina imediatamente.
9 - O que pode fazer o paciente
A pessoa sujeita a ataques de hipoglicemia deve ser portadora de um cartão ou usar uma pulseira que indique essa condição e as instruções de emergência. Isto pode impedir que seja confundida com um ébrio, quando, na verdade, do que precisa é de açúcar.
Um diabético que se trate com insulina deve evitar conduzir automóveis ou manejar maquinaria perigosa, excepto se tiver tomado algum alimento nas duas horas anteriores. Consequentemente, é importante tomar as refeições a horas certas.
Do grego kôma, atos,"sono profundo"



Na sequência do violento acidente, o condutor do automóvel ficou em estado de coma profundo.



Clique aqui se você CONCORDA com essa definição!  1 sobe, 0 desce Clique aqui se você NÃO CONCORDA com essa definição!

2. Coma

Por (SP) em 22-06-2015

1-Cabelo abundante e crescido;cabeleira.
2-Juba
3-Crina;penacho.
4-(Mus.)-Pausa de colcheia(VIDE)
5-Sinal gráfico;vírgula(em desuso)

Coma é um substantivo feminino.


Outras Informações:

Palavras com 4 letras

A palavra possui 2 vogais - o a
A palavra possui 2 consoantes - c m
1 página - 2 Definições

Publicidade
Dicionário inFormal® possui definições de gírias e palavras de baixo-calão. Seu conteúdo não é adequado para todas as audiências.
Coma - Significado, Definição, Sinônimos, Antônimos, Palavras Relacionadas, Exemplos
termos de serviço. Mapa de definições

© 2006-2015 Dicionário inFormal®