Hollerith

Por (SP) em

Significado de Hollerith:

GRAFIA CORRETA: hollerith
GRAFIAS INCORRETAS (aportuguesamento): holerite - olerite
*Hollerith é a forma correta, mas está em desuso. Pode
ser substituída por "demonstrativo de pagamento"
ou "contracheque".

*holerite (ou olerite) é o aportuguesamento da palavra
inglesa hollerith, que na verdade é o sobrenome do
cientista que inventou o processo.

*hollerith é um documento onde se demonstram os ganhos e despesas de um assalariado, funcionário de uma empresa, mais especificamente, seu salário no mês vigente e descontos respectivos de vale, encargos, adiantamentos e pensões; CONTRACHEQUE
*


Exemplo do uso da palavra Hollerith:

1) Aqui no Nordeste a gente prefere usar um termo equivalente a HOLLERITH, na nossa língua mesmo: contracheque.

2) A primeira via do hollerith(olerite) vai pro escritorio contabil ou fica nos arquivos da empresa?
A primeira via é do funcionário,a segunda via fica junto dos arquivos de departamento pessoal da empresa...às vezes o escritorio de contabilidade fica com eles, mas depois de contabilizados o certo é eles ficarem na empresa

3) A principio, nãohá necessidade do hollerith ser envciado ao escritório contábil, em razão de no escritório contábil permanecer o resumo da folha de pagamento. Até porque o holerith assinado, apenas comprova que o funcionário recebeu o cheque, dinheiro ou crédito bancário, e que está de posse da primeira via. A primeira via fica com o funcionário, e, a 2a. via é que fica arquivada na empresa.

4) Rapidez no censo

O próximo censo demográfico dos Estados Unidos, previsto para o ano que vem, será o mais preciso da história do país, e seus resultados devem ser concluídos em um terço do tempo gasto no recenseamento anterior, o de 1880. O estatístico americano Herman Hollerith, de 29 anos - formado pela Universidade Colúmbia e com estudos realizados também no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, o MIT -, acaba de patentear um equipamento capaz de processar dados com o auxílio de impulsos elétricos, que será adotado no censo de 1890. Batizado de Máquina Tabuladora Elétrica, o equipamento é dotado de um mecanismo complexo. Na parte superior da máquina, um operador registra as informações a respeito de cidadãos americanos fazendo perfurações num rolo de papel - dados como a idade, a profissão e a renda dos entrevistados pela pesquisa. Cada resposta requer um conjunto distinto de perfurações. Depois de registrar os dados sobre uma pessoa, o operador da máquina deve dar um espaço no rolo de papel e iniciar a perfuração das informações sobre um novo entrevistado.

A novidade da máquina de Hollerith está na fase seguinte desse processo. O papel perfurado passa entre dois cilindros metálicos, nos quais existe uma corrente elétrica. Cada furo no papel coloca em contato os dois cilindros, dando origem a um impulso elétrico. O conjunto de impulsos resulta em registros nos quarenta relógios da máquina tabuIadora. Se o entrevistado for um homem, o relógio do sexo masculino registra uma marcação. Se tiver mais de 40 anos, outro relógio é disparado. Os relógios acumulam esses dados em separado e facilitam a contagem final do censo. As máquinas disponíveis até hoje jamais haviam utilizado a eletricidade nesse processo - e requeriam muito trabalho manual na contagem dos dados. "Minha máquina precisa ser mais bem desenvolvida", afirma o estatístico Hollerith sobre seu invento. "Mas não tenho dúvidas de que ela servirá de modelo para máquinas processadoras de dados ainda mais poderosas", arrisca.

O jovem Hollerith, filho de imigrantes alemães, teve a idéia de desenvolver sua máquina tabuladora elétrica quando começou a trabalhar como estatístico no censo americano de 1880, convidado por seu professor William Trowbridge, também da Universidade Colúmbia. As informações sobre os 50 milhões de americanos foram compiladas quase manualmente. Naquela época, os dados foram registrados em cartões perfurados, mas não existia equipamento capaz de "ler" o conjunto de informações e acumular os resultados. "O trabalho era monstruoso", recorda-se Hollerith, que começou a desenvolver sua tabuladora em 1885 e, dois anos depois, já construíra um protótipo da máquina. Os resultados do censo de 1880 só foram divulgados oito anos mais tarde, em 1888, quando os dados já estavam defasados. Com a máquina elétrica de Herman Hollerith, espera-se que as conclusões sobre o censo de 1890 demorem no máximo três anos para ser levadas a público.

5) HOLLERITH

Herman Hollerith (1860-1929) foi um inventor norte-americano, criador de um equipamento eletromecânico para contagens e tabulações estatísticas que funcionava com cartões perfurados.

Utilizando o princípio descoberto por Jacquard para comando automático de teares, Hermann Hollerith - funcionário do United States Census Bureau - inventou, em 1880, uma máquina para realizar as operações de recenseamento da população.

A máquina fazia a leitura de cartões de papel perfurados em código BCD (Binary Coded Decimal) e efetuava contagens da informação referente à perfuração respectiva. O sistema foi patenteado em 8 de junho de 1887. A informação perfurada no cartão era lida numa tabuladora que dispunha de uma estação de leitura equipada com uma espécie de pente metálico em que cada dente estava conectado a um circuito elétrico.

Cada cartão era colocado sobre uma taça que continha mercúrio e que estava conectada também ao mesmo circuito elétrico do pente. Quando o pente era colocado sobre o cartão, os dentes que atravessavam as perfurações fechavam o circuito elétrico que acionava os contadores respectivos. O contador visualizava o resultado da acumulação pela deslocação de um ponteiro sobre um mostrador.

A partir disso as grandes empresas passaram a utilizar este sistema para emitir as folhas de pagamento de seus funcionários. No Brasil o termo "hollerith" passa a ser utilizado para designar o contra-cheque dos funcionários das empresas e servidores públicos. A grafia da palavra também pode ser usada nas formas aportuguesada "holerite" ou "olerite".