J. Argemiro

Usuário desde 05-06-2015
Já enviou 22 Definições.

22. Tapirotério

s.m. - Em paleontologia, é o fóssil de um mamífero que se assemelha ao tapir; tapirothério.

21. Moléstia

Moléstia - substantivo feminino. - Como regionalismo, mais usado no Nordeste brasileiro, juntamente com suas variantes fonéticas "molesta" e "mulesta", forma um núcleo de construção adjetiva (da+moléstia) que incorpora os significados de raiva, ira e fúria no corpo de expressões que se reportam ao mal da hidrofobia (raiva), doença infecciosa aguda transmitida pela mordida de animais (cão, gato, lobo etc.) infectados com um tipo de rabdovírus. Como essa enfermidade se caracteriza por lesões do sistema nervoso central que provocam convulsão, a sabedoria popular a relaciona a manifestações dos sentimentos humanos de irritação, ira, fúria, agressividade, rancor ou frustração, por um lado. Por outro, serve para intensificar, pelo recurso jocoso à semântica do seu contrário, qualidades, poderes ou virtudes.

20. Auspício

Etimologicamente, auspício tem origem remota na expressão latina "avis spicium", que exprimia o ritual do antigo áugure ao extrair prenúncio de notícias através da observação do voo ou do canto de uma ave. Com o tempo, tais adivinhações adquiriram conotações funestas quando resultavam da observação de águias, corujas, corvos ou gralhas, aves que ainda hoje são tidas como de mau agouro. Na língua portuguesa, o vocábulo auspício deriva já da contração latina avis + spicium = auspicium. Saliente-se que para os romanos o "U" era grafado como "V", como registram os clássicos, as inscrições em monumentos e estátuas, a produção científica da Idade Média e os primórdios das ramificações neolatinas, inclusive o português. Daí "avis spicium" haver-se contraído em "auspicium" e ter sido incorporado ao vernáculo lusitano como auspício.

19. Ralentar

(Música) Diminuir o andamento na execução de uma peça musical. Pôr anotação cifrada, na partitura, para retardar compassos da música.

18. Chalaza

Forma derivada do espanhol "chalaza" e não preferível àquela recepcionada pelo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa: calaza. Embora redigida com "ch" em muitos sites das redes virtuais, nos dicionários só é definido o vocábulo sem o "h". Etimologicamente originada do grego "khálaza" (granizo, grão duro na gema do ovo), identifica cada um dos dois cordões que, por sua aderência à membrana do ovo, mantém a gema centralizada em seu interior, e sua existência comprova a frescura do produto.

17. Parsa

Trata-se de neologismo formulado popularmente a partir do vocábulo "comparsa", do mesmo modo como se pode admitir a forma parça, derivada de "parceiro" e, portanto, utilizando a letra c (cedilhada por se antepor a uma vogal) que integra o radical que contém a estrutura morfológica permanente do termo e seu significado básico indicativo de parceria, sociedade, cumplicidade ou camaradagem. Com "s" ou com "ç", o vocábulo apresenta larga utilização no âmbito das associações voltadas para a organização do crime, congêneres ou simpatizantes. Característica marcante do seu uso quase exclusivo em ambientes descolados da gramática é a invariabilidade de gênero e número.

16. Búxulo

[Fitoterapia] Nome popular atribuído à "uva ursi", planta da família das Ericaceae, bastante utilizada por sua eficácia como antisséptico e diurético, evitando que o corpo acumule água em excesso (inchaço). Com ela se faz um chá medicinal cujo maior beneficiado é o sistema urinário, até em casos graves de inflamações e cálculos renais, assim como cistite e problemas na próstata e uretra. Encontrável especialmente nas regiões montanhosas da Europa, Ásia e América do Norte, a erva ganhou o apelido de ?uva ursi? (?uva do urso?, em latim) por seu fruto apresentar um sabor pouco atraente para os humanos, embora extremamente cobiçado pelos ursos.

15. Leônidas

Leônidas S.f. - Estrelas cadentes assim chamadas porque o seu radiante (ponto do céu de onde parecem originar-se) está situado na constelação de Leão. As leônidas riscam o céu a uma velocidade de até 250.000 quilômetros por hora, deixando como rastro uma linda esteira verde. Sua origem está nos restos caudais liberados pelo Cometa 55P/ Tempel-Tuttle, descoberto em 19 de dezembro de 1865. Em anos normais, chegam a ser vistos de 10 a 15 meteoros por hora, mas a cada 33 anos (quando o cometa passa por seu peri-hélio) podem ocorrer espetaculares tempestades de estrelas, atingindo a frequência de milhares de meteoros por hora. Outras chuvas de meteoros têm seus radiantes nas constelações de Perseus, Dragão e Girafa.

14. Fulígula

S.m. - Ornitologia: ave anseriforme, palmípede, aquática, mergulhadora, da família dos anatídeos, portadora de penacho nucal, mais conhecida por seus nomes populares zarro-negrinha, negrela, negrinha ou pato-de-penacho (inglês: ?tufted duck?; espanhol: ?porrón moñudo?; italiano: ?la moretta?; francês: ?fuligule morillon?).
Etimol.: deriva dos termos latinos ?fuligo? (fuligem) e ?gula? (goela), alusão à cor escura de sua cabeça e pescoço.

13. Angostura

1. [Aperit.]: Bíter concentrado e aromático, preparado com a casa de plantas rutáceas, normalmente utilizadas em coquetéis clássicos; também integra receitas da culinária.
2. [Bot.]: Nome que designa plantas da família das rutáceas; V. apogitaguara.
3. [Fitoter.]: Casca dessas plantas, de propriedade antipirética.
4. [Hist.]: Nome do forte que se localizava na margem direita do arroio Piquis-siri, afluente do rio Paraguai, em território paraguaio e que, ao tempo da Guerra da Tríplice Aliança (1865-1870), integrava a linha defensiva paraguaia fortificada em Lomas Valentinas, até ser ocupado pelas forças brasileiras em 30/12/1868, terminando então o conflito bélico sul-americano vencido pelos aliados.

12. Poste

Em contexto político-partidário é o candidato de marketing difícil, desprovido do senso de iniciativa, totalmente dependente, extremamente manipulável e submisso, pesado e plantado como um poste. A expressão teve origem em comentário feito pelo político Adhemar de Barros a respeito da primeira eleição do, à época, azarão Jânio da Silva Quadros à Prefeitura de São Paulo, em 1951. Refere-se à facilidade que qualquer adversário teria para derrotar o candidato de uma situação arrasada por rachas e disputas internas.

11. Moleira

I - [Fem. de moleiro. Subst. fem.] Mulher do moleiro, cujo ofício é moer cereais. Pode ser também a dona de moinho.
II - [De mole + -eira.Subst. fem.] Fontanela ou fontículo: parte ainda não ossificada do crânio dos bebês, correspondente à sutura coronal nas crianças. P. ext. ,aplica-se tb. à abóbada do crânio.
Ao contrário do que se possa imaginar, etimologicamente a palavra ?moleiro? não deriva diretamente de ?mó?, mas do termo latino ?molinarius? (pessoa que trabalha em moinho). E ?mó? não provém do tupi, mas também do latim ?mola?, que significa tanto moinho como a pedra mó.

10. Penhasco

Aumentativo de penha (verbete etimologicamente derivado do espanhol "peña", designando as rochas que se projetam na crista de uma montanha). Grande massa de rocha escarpada ou alcantilada (em forma de alcantil ou precipício); penedo; penha elevada e pontiaguda.

9. Crudescer

Tornar-se intenso; o que passa a exceder as medidas, graus e quantidades habituais; ultrapassar o habitual, aumentar; 2. Tornar-se pior, cruel, desumano. Etimologia: provém do latim ?crudesco, -is, -ere, -dui?, cujo sentido próprio é sangrar, derramar sangue; e em sentido figurado: tornar-se violento, grosso, bruto, cruel, desumano. Seus significados aumentam de intensidade no verbo recrudescer (do latim ?recrudesco, -is, -ere, -crudui?, tornar-se mais cruel, mais violento, mais sanguinolento).

8. Protocolo

O vocábulo abrange um extenso leque de significados, desde um conjunto de formalidades oficiais até os critérios a serem cumpridos no exercício de determinada atividade social, técnica ou científica. Na esfera pública, os protocolos de estado fixam condutas padrões para eventos que reúnem representantes de variados países, federações, estados etc., e dos quais pode resultar a assinatura de acordos que respondam a necessidades mútuas dentro de um objetivo em comum. Ex.: o Protocolo de Kyoto, sobre as mudanças climáticas. Na medicina, o protocolo codifica os passos a serem seguidos na execução dos procedimentos cirúrgicos com o objetivo de tornar a prática médica uniforme e eficiente. Ex.: o Protocolo de Manchester, que define em cinco cores os níveis de gravidade de cada ocorrência, assim como o tempo que o paciente levará para ser atendido: vermelho (emergência) = 0 min; laranja (muito urgente) = 10 min; amarelo (urgente) 50 min; verde (pouco urgente) = 120 min; azul (não urgente) = 240 min. - Na área da informática, protocolos de rede controlam e regulam a comunicação, conexão e transferência de dados entre sistemas computacionais. Exs.: o IP (Internet Protocol) e o HTTP (Hypertext Transfer Protocol).


2 páginas - 22 Definições